Mentoria Gratuita durante 12 meses

A mentoria para negócios é, cada vez mais, uma ferramenta importante para o sucesso dos empreendedores. Através da mentoria, os empreendedores obtêm conhecimento de pessoas com mais experiência ou conhecimento técnico sobre as áreas críticas do empreendedorismo: os mentores.

Qual o papel do Mentor?

A palavra Mentor vem do latim “Mentor” e do grego Méntor, antropónimo (amigo e conselheiro de Ulisses na Odisseia). Segundo a definição do dicionário Priberam da Língua Portuguesa, um mentor é:

  1. Pessoa que, pela sua sabedoria ou experiência, ajuda outra como guia ou conselheiro;
  2. Pessoa que inspira outros.

Na prática, um mentor deve ser um guia que usa da sua vivência para dar os melhores conselhos e direções. 

O que é Mentoria para negócios?

A mentoria para negócios é uma ferramenta muito útil para empreendedores e negócios. Porquê? Porque consiste na partilha de experiência e conhecimento por parte de um mentor.

Na prática, o foco do trabalho do mentor é ajudar os empreendedores a atingirem os seus objetivos. É importante ressaltar que o mentor não irá fazer o trabalho pelos empreendedores mas sim, irá guiar o empreendedor nos caminhos que este deve seguir.  

No fundo, o mentor é um conselheiro que ajuda empreendedores a definir ou ajustar objetivos de desenvolvimento do negócio, identificar recursos, estabelecer novos contatos, entre outros. Com este programa, terás alguém a teu lado que já passou pelas dificuldades que estás a sentir, que já cometeu erros e sentiu o falhanço de perto, podendo ajudar-te a reduzir erros e gastos desnecessários.

Por isso, se…

       ✅  Procuras alguém que te motive? 

       ✅  Tens dúvidas sobre como alavancar o teu negócio?

       ✅  Ambicionas desenvolver competências como gestor?

       ✅  Queres validar as tuas ideias?

Então o Programa de Mentoria 1212 foi feito para ti! 👊

Neste Programa, 12 empreendedores  irão receber:

      ✅  Conhecimento Técnico: conhecimento sobre empreendedorismo, gestão, inovação, liderança, economia e contabilidade, entre muitos outros;

      ✅  Validação do modelo de negócios e ideia: apoio na compreensão do modelo de negócios e conhecimento de mercado de atuação;

      ✅  Experiência e desenvolvimento pessoal: irás aprender com alguém que já passou pelas dificuldades pelas quais estás (e irás) passar, e que irá partilhar contigo a sua experiência para o teu desenvolvimento;

      ✅  Acesso a recursos e ferramentas: os recursos das empresas são limitados, em particular o tempo. Por isso, é fundamental otimizar recursos e utilizar ferramentas que te permitam ser mais eficiente e poupar recursos;

      ✅  Contactos e networking: acesso a uma vasta rede de contactos do mentor que te poderão abrir portas para alavancar o teu negócio.

E tudo isto, 100% Gratuito durante 12 meses  para 12 empreendedores!

Inscreve-te aqui até ao próximo dia 20/01/2021!

Candidaturas Abertas ao Programa de Apoio à Produção Nacional

O Programa de Apoio à Produção Nacional conta já com candidaturas abertas para várias zonas do país.

Este incentivo tem aplicação em todo o território nacional continental, sendo as candidaturas geridas pelas Comunidades Intermunicipais (CIM) ou áreas metropolitanas no caso de Lisboa e Porto. Ao Programa de Apoio à Produção Nacional, podem candidatar-se Micro e Pequenas Empresas, ligadas a diversos setores de atividade desde a indústria ao turismo.

Todo o detalhe do programa pode ser consultado neste link: PME INCENTIVOS

5 Ferramentas para ganhar tempo

O tempo é um recurso escasso. Todos temos apenas 24 horas disponíveis em cada dia e, abatendo o tempo que estamos a dormir ou a comer sobra-nos uma média de 14 horas. Se a este tempo retirarmos o trabalho, o tempo nas redes sociais, as viagens casa-trabalho e trabalho-casa, entre muitos outros, então o tempo “evapora-se”!

Por isso, partilho contigo 5 ferramentas que utilizo e que me permitem “ganhar tempo” sendo mais eficiente, evitando distrações e potenciando os resultados.

Esta dica foi partilhada no Instagram do Diário de um Empreendedor. Aproveita para seguir para veres em primeira mão mais dicas.

1. Asana

O Asana é uma ferramenta para gerir tarefas, organizar trabalho e definir tempos de concretização.

O Asana permite organizar melhor o tarefa através da criação de projetos que podem ser partilhados com outros elementos da equipa. Desta forma, todos sabem o que têm a fazer e quando devem terminar estas tarefas.

Sabe mais em www.asana.com.

2. Canva

Ferramenta de design para criação de conteúdo para redes sociais (e não só).

Através do Canva.com, podes criar conteúdo com design apelativo de forma rápida e eficaz, desde logotipos, posts em diversos formatos, vídeos, entre muitos outros.

Acima podes ver uma imagem ilustrativa de um conteúdo criado nesta ferramenta. Pontualmente, e a para conteúdos específicos, acabo por utilizar photoshop ou illustrator para maior personalização. No entanto, não tenho qualquer formação. Com esta ferramenta não é necessário muito talento já que existem milhares de templates disponíveis que te irão ajudar na criação de conteúdo.

Experimenta e sabe mais em www.asana.com.

3. Hootsuite

O Hootsuite é uma ferramenta para automatização de posts nas redes sociais.

Podes agendar publicações (até 30 na versão gratuita) em qualquer rede social (até um máximo de 3 na versão gratuita), ganhando muito tempo neste processo.

Já li alguns artigos online que dizem que a automatização via qualquer ferramenta externa como hootsuite afeta negativamente o alcance das publicações, reduzindo significativamente. Acredito que seja verdade. No entanto, o tempo que perderia a colocar cada post, manualmente, no instagram, não seria comportável para os objetivos que defini. Por isso, apesar de ter noção da potencial perda de alcance, continuo a achar que faz mais sentido criar bom conteúdo em pouco tempo já que os resultados provavelmente compensarão as potenciais perdas de alcance.

Faz sentido?

Existem várias ferramentas a este nível, sendo que atualmente utilizo hootsuite (como podes ver na imagem acima) e e-goi (versão paga).

Experimenta e sabe mais em www.hootsuite.com.

4. Removebg

Alguma vez tentaste tirar aquele fundo daquela imagem e não sabias como?

Existem várias formas, inclusive o próprio canva.com que tem essa funcionalidade na versão paga mas, o remove.bg é gratuito e funciona muitooooo bem.

O processo é muito simples, rápido e eficiente. Para ser melhor, só se melhorasse o modelo acima 😂!

Experimenta em www.remove.bg.

5. Forest (App)

A App Forest é uma interessante aplicação para telemóvel que permite maximizar o foco e concentração.

Muitas vezes, a razão principal para a não otimização do nosso tempo passa pela perda de foco e concentração. Tendemos a gastar muito tempo nas redes sociais, inclusive durante o horário normal de trabalho. Com a aplicação forest, podes evitar distrações quer no trabalho quer na tua vida pessoal para estares mais presente (a 100%).

screenshot

Experimenta em www.forestapp.cc.


Já conhecias ou utilizavas alguma destas ferramentas?

Escreve abaixo nos comentários e faz-me chegar as tuas dúvidas!

Bem-vindo (finalmente) 2021

Bem-vindos a 2021 empreendedores e empreendedoras!

O meu principal desejo para o novo ano é que este seja um ano repleto de sucesso para todos e que todos os vossos objetivos e metas definidos sejam atingidos.

Todos sabemos que 2020 foi um ano desafiante a todos os níveis… Desafios, obstáculos e perdas marcaram este ano mas, como otimista que sou, sei que aprendemos muito com este ano que passou.

É na adversidade que crescemos e, por isso, cabe agora refletir e planear.

Objetivos para 2021

No final de cada ano, dedico tempo a refletir e planear o ano que aí vem e, apesar de 2020 ter sido um ano atípico, não perdi a tradição.

O ano passado defini 31 objetivos e concretizei apenas 12. Poderia culpar as circunstâncias e outros fatores externos a mim mas, na realidade, o único culpado fui eu por não ter tido a disciplina e consistência necessária para os cumprir.

Conheço toda a teoria de definição de objetivos, teoria essa que aplico na minha profissional e junto dos nossos clientes. E a teoria diz-nos para não termos demasiados objetivos pela elevada probabilidade de perdermos o foco. No entanto, fui contra tudo o que acredito, procurando desafiar-me como nunca.

Moral da história: não funcionou.

Por isso, para o ano de 2021 defini 7 objetivos principais que vou, de seguida, partilhar contigo.

1. Ler ou ouvir 30 livros

A leitura é fundamental para quem procura desenvolver-se pessoal e profissionalmente. Quando desenvolvemos o hábito da leitura, independentemente do tipo de leitura que estivermos a falar, desenvolvemos e apuramos o nosso sentido crítico e a nossa forma de ver o mundo.

Em 2021, irei ler ou ouvir, pelo menos, 30 livros, em particular em temáticas que mais procuro como desenvolvimento pessoal, gestão, liderança e finanças.
Tenho alguns já pensados para ler, sendo que comecei o ano com a leitura do livro “O Cisne Negro” do autor Nassim Nicholas Taleb.

2. Alcançar a meta de 2.000 seguidores no Instagram

Já segues o instagram do diariodeumempreendedor.pt?

Se ainda não, podes seguir para me ajudares a atingir o objetivo 😅 !

Ao longo do ano de 2020, fui perdendo disciplina na criação de conteúdo. Defini objetivos que não cumpri a este nível mas não vou voltar a falhar na consistência.
Na verdade, a consistência é a mãe de todos os objetivos e concretizações já que, sem ela, nada conseguimos. E no que diz respeito às redes sociais e criação de conteúdo, esta afirmação não é exceção.

Manter a consistência nas publicações e na qualidade do conteúdo é o caminho para aumentar o número de seguidores. E para este ano, defini os seguintes objetivos:

  • Criar 312 posts
  • Criar 26 “Dicas de um minuto”
  • Criar 26 artigos escritos
  • Lançar a 2ª temporada da série “Escreve a tua História” com 10 episódios

Dá uma vista de olhos na página do Instagram e começa a seguir-me.

3. Alcançar a meta de 1.000 subscritores no Youtube

Há alguns anos que penso em criar um canal do Youtube para abordar temáticas como a Gestão, Empreendedorismo e Liderança mas apenas em 2020 decidi dar esse passo.

Em 2020, avancei com 2 séries no Youtube:

Em 2021, vou partilhar mais conteúdo de valor, ficando prometida a 2ª série do “Escreve a tua História”, retomar podcasts e estou a estruturar mais vídeos e conteúdo para partilhar.

Já segues o canal?

4. Mentoria Gratuita a 12 empreendedores, durante 12 meses

Ao longo dos últimos anos que trabalho em consultoria, tenho vindo a dedicar-me a trabalho de Mentoria quer com empreendedores quer com jovens e adultos que o tencionam ser.

A mentoria desempenha um papel importante no desenvolvimento pessoal e profissional dos mentorandos e é um trabalho de elevada exigência e responsabilidade. Um mentor procura apoiar e ajudar o mentorando no seu desenvolvimento profissional e pessoal, através da partilha bilateral de experiências e conhecimento. Saber ouvir e fazer as questões certas são dois dos principais passos.

Acredito que ninguém nasce empreendedor ou gestor. Apesar de algumas pessoas poderem “nascer” com determinado tipo de qualidades e competências, a verdade é que todos nós podemos trabalhar para lá chegar. E o papel de um mentor é precisamente ajudar neste desenvolvimento…

Por isso irei mentorizar 12 empreendedores de forma 100% GRATUITA durante os próximos 12 meses.

Se queres saber como te podes candidatar à Mentoria gratuita, basta clicar na imagem abaixo:
Mentoria Gratuita 1212

5. Acordar às 6h30 todos os dias e criar uma rotina matinal

Durante aproximadamente 10 anos fui nadador federado. Enquanto nadador federado, tinha treinos duas vezes por dia, de manhã e de tarde, estando habituado a levantar-me cedo. 🏊

Muito provavelmente por ter criado essa rotina, sempre que tinha de estudar na escola ou, agora, quando tenho de trabalhar em algo, preferia/prefiro fazê-lo o mais cedo possível por render mais. No entanto, nunca acordei um ano inteiro às 6h30 da manhã e nunca tive uma rotina matinal fixa que, de forma consistente, tenha aplicado durante um grande período de tempo. E a verdade é que o objetivo da rotina matinal é mais importante do que o “simples” acordar às 6h30 já que o hábito/rotina é o que realmente importa. 💪

Ter rotinas e consistência permite alavancar resultados. E é isso que busco: resultados e excelência.

Em breve partilharei contigo a minha rotina matinal. E tu, tens alguma?

6. Dinamizar 6 workshops gratuitos

Ao longo dos últimos anos a minha empresa (Macro Consulting) tem sido parceira da Cidade das Profissões na dinamização de formações e workshops para dezenas de pessoas.

Apesar de não ter presente o número exato de pessoas que assistiram através deste canal, atrevo-me a dizer que serão mais de 750 pessoas. Mas isso não chega. Queremos chegar a mais pessoas e criar mais impacto! 🚀

Por isso, em 2021 iremos dinamizar pelo menos 6 workshops 100% GRATUITOS sobre temáticas relacionadas com a Gestão e Empreendedorismo.

Sendo isto para ti que estás aí desse lado, pergunto-te:

  • Que temas específicos gostarias de ver abordados nestes workshops?

7. Correr os 21km (e em menos de 2 horas)

Em 2019, uma das minhas resoluções foi “começar a correr”. Nesse mesmo ano, corri os 10km num tempo que superou as minhas expectativas (50’34) mas, nessa mesma corrida, sofri uma pequena lesão que me fez parar durante algum tempo.

Em 2020, defini que queria correr a meia maratona mas não alcancei esse objetivo.

Por isso, este ano não vou falhar. Em 2021, vou correr os 21km, seja numa prova oficial seja como desafio pessoal, e terá de ser abaixo das 2h00.

Quem me acompanha neste desafio?

Candidaturas ao Apoiar.pt disponíveis a partir de amanhã

O Apoiar.pt é um dos mais recentes apoios para micro e pequenas empresas. Esta medida de apoio surge num momento delicado para a grande maioria das empresas que, pela realidade dos últimos 5 meses, têm vindo a sofrer dificuldades acrescidas. Este incentivo está direcionado para Micro e Pequenas Empresas do Comércio e Serviços e tem uma dotação de 750 milhões de euros a fundo perdido para ajudar as empresas a ultrapassar esta crise.

As candidaturas ficarão disponíveis já amanhã e, por isso, hoje fiz um direto no Facebook para falar um pouco melhor sobre este apoio e, também, sobre o Programa de Apoio à Produção Nacional.

Partilho abaixo o vídeo para veres e qualquer dúvida que surja, sabes onde me encontrar.

➡️ O Apoiar.pt é um dos mais recentes apoios para micro e pequenas empresas. Esta medida de apoio surge num momento delicado para a grande maioria das empresas que, pela realidade dos últimos 5 meses, têm vindo a sofrer dificuldades acrescidas. Este incentivo está direcionado para Micro e Pequenas Empresas do Comércio e Serviços e tem uma dotação de 750 milhões de euros a fundo perdido para ajudar as empresas a ultrapassar esta crise.

➡️ O Programa de Apoio à Produção Nacional vai apoiar pequenos projetos de investimento de micro e pequenas empresas “na área do turismo e da indústria”, com uma taxa média de cofinanciamento de 50% a fundo perdido e com uma majoração para o interior do país (apoio de 60% a fundo perdido).

Projecto Dividas.pt – uma nova forma de cobrança de dívidas, chegou a Portugal.

Barato, fácil, rápido, eficaz e seguro. Três serviços online, que dão uma oportunidade de melhorar significativamente a liquidez das empresas … mas não só.

A empresa portuguesa Ecomfactory, com sede em Lisboa, lançou o primeiro projecto nacional dedicado às empresas portuguesas que enfrentam o problema dos pagamentos em atraso de bens e serviços. Projecto Dividas.pt são três serviços online interligados que se baseiam na legislação atual. Por um lado, permitem, exercer uma forte pressão sobre o devedor e, por outro lado, melhorar a situação no mercado português em termos de verificação das empresas e de promoção da honestidade e das boas práticas comerciais. Portugal tem uma das últimas posições na Europa em termos de pagamento atempado de compromissos entre empresas. O problema dos pagamentos em atraso tem sido tolerado até agora, mas o colapso económico associado à pandemia de Covid-19 tem levado muitas empresas à beira da falência. Uma das razões para isto é o comportamento fraudulento de algumas empresas, que tendem a não liquidar as suas dívidas a tempo e o processo de execução da dívida é dispendioso, moroso e nem sempre eficaz.

Ecomfactory oferece uma solução simples e barata – Registo Nacional de Dívidas – uma plataforma na qual qualquer empresa pode registar os seus devedores. Aí também pode verificar o seu futuro parceiro comercial em termos da sua fiabilidade na liquidação de responsabilidades. Assim, é criado um registo nacional de empresas em que se tem de ter uma confiança limitada. É claro que isto não significa que todas as empresas endividadas se encontrem lá. Segundo a Diretor Geral do Projecto Dividas.pt, Maciej Sekieta: “Tudo depende da escala da dívida e da relação entre o devedor e o credor. Se ele está em contacto constante com o credor e reembolsa a dívida, não há razão para o registar – é uma prática comercial normal e todos podem ter problemas temporários. Mas há muitas empresas que “desaparecem” após receberem um bem ou serviço e não pagam de todo. Estas empresas devem ser estigmatizadas como potencialmente perigosas para outras empresas. E esse é o principal objectivo do Registo Nacional de Dívidas – criar um registo de empresas que são injustas e perigosas para o mercado”.

Uma ferramenta muito mais forte é a Troca de Dividas – uma plataforma onde as dívidas podem ser oferecidas para venda e assim os dados do devedor podem ser mostrados ao público. Esta é uma forma de ação legítima mas muito controversa, mas para algumas empresas pode ser a única hipótese de exercer pressão sobre o devedor – publicar os seus dados numa espécie de “Wall of shame”. Esta forma de pressão sobre o devedor, que já existe noutros países, provou ser extremamente eficaz como uma ferramenta barata e de fácil acesso para executar dívidas de devedores extremamente onerosos.

Ecomfactory tem também uma proposta interessante para empresas honestas – o Certificado de Empresa Confiável – a marca de uma empresa que aplica boas práticas comerciais, trata os seus contratantes de forma justa e estabelece as suas obrigações a tempo. É um sinal de um parceiro de negócios fiável, que não tem de ter medo e que garante uma cooperação honesta.

O programa de certificação baseia-se na verificação contínua das empresas em termos da sua inscrição no Registo Nacional de Dividas ou Troca de Dividas. O titular do Certificado Empresa Fiável dá maior segurança de cooperação.

Como Maciej Sekieta acrescenta: “Este tipo de serviços têm vindo a funcionar há anos com grande sucesso noutros países europeus. Chegou o momento de as implementar no nosso país. Chegou o momento de melhorar a liquidez financeira no mercado português. A economia exige acções decisivas relacionadas com o colapso da pandemia de Covid-19. Estamos a dar às empresas uma ferramenta simples para exercer pressão sobre o devedor, muito mais barata do que as formas anteriores”.

Conhece mais em: www.empresaconfiavel.pt

Programa de Apoio à Produção Nacional

Apoio a fundo perdido para estimular a produção nacional de Micro e Pequenas empresas portuguesas.

No início do mês de novembro, foi anunciado pelo governo, através da Ministra Ana Abrunhosa, o lançamento do Programa de Apoio à Produção Nacional, com uma dotação de 100 milhões de euros, para cofinanciar projetos de micro e pequenas empresas.

Resultado da reprogramação dos fundos da União Europeia, o Programa de Apoio à Produção Nacional vai apoiar pequenos projetos de investimento de micro e pequenas empresas “na área do turismo e da indústria”, com uma taxa média de cofinanciamento de 50% a fundo perdido e com uma majoração para o interior do país (apoio de 60% a fundo perdido).

O investimento global alavancado pelo programa pode ir “até 200 milhões de euros”, perspetivou Ana Abrunhosa, considerando que os fundos geram sempre investimento adicional, inclusive pela contrapartida que implicam. Sobre o tipo de projetos que podem ser cofinanciados pelo programa, a ministra explicou que a ideia é “apoiar a digitalização das empresas, apoiar a pequena compra daquela máquina que já está envelhecida, são pequenos projetos de investimento“. Ao contrário do que acontecia no passado, o cofinanciamento dos projetos pode ser atribuído sem que as empresas tenham a obrigação de contratar trabalhadores.

A previsão de abertura é no mês de novembro.

Se quiser saber mais informações, faça download de um EBOOK gratuito no link abaixo:

Vamos todos ajudar a Restauração, o Turismo e demais setores em dificuldades

Os últimos meses têm sido desafiantes para todos, tanto a nível pessoal como a nível empresarial. Deparamo-nos com uma nova realidade nas nossas vidas de um momento para o outro que obrigou a à reinvenção de todos para conseguirmos, em conjunto, superar estes obstáculos.

Desta nova realidade, surgiram novas ideias e novos negócios de oportunidade, alicerçados em inovação que o mercado e a nova realidade exigiam (e exigem). Excelentes oportunidades surgiram, surgem e continuarão a surgir nos próximos tempos, fruto desta nova realidade. Cabe-nos a nós procurarmos essas oportunidades para podermos criar valor e fazer a diferença.

No entanto, a norma nas micro e pequenas empresas não é, infelizmente, inovação e reinvenção.

Com base na experiência que tenho tido junto de empresários e empreendedores, a maior parte das micro e pequenas empresas ainda não se conseguiu adaptar completamente a esta nova fase. E, na verdade, essa “não adaptação” é normal numa grande parte dos casos.

Na realidade, a reinvenção e adaptação depende de variáveis internas (Ex: know-how do empreendedor e capacidade de visão e mudança) e externas (Ex: imposições do mercado e do governo) e, no caso do Turismo e Restauração, a mudança é complexa e difícil.

Com base na experiência com empreendedores destes setores de atividade, tenho visto um desânimo geral. Um sentimento natural face ao que representa para estes empresários a realidade atual… Uma perda drástica de faturação e sustento para si, para os seus colaboradores e, consequentemente, para inúmeras famílias.

Por tudo isto, queremos contribuir para, de alguma forma, mitigar este efeito em todas as empresas que estejam em dificuldade.

Por tudo isto, a Macro Consulting dispõe-se a ajudar, sem custos, a restauração, o turismo e todos os setores com empresas em dificuldades através da elaboração de candidaturas a programas de apoio relacionados com os apoios para combater a realidade do COVID-19.

Toda a informação pode ser consultada no link abaixo.

Apoiar.pt | 1.500 milhões de euros na economia

Foi divulgado, na passada 5ª feira (05/11/2020) novos apoios para as empresas. Os novos apoios às empresas implicarão um financiamento global de 1.550 milhões de euros, dos quais 750 milhões em subsídios às pequenas e médias empresas mais afetadas pela crise.

No âmbito do programa Apoiar.pt está previsto um montante global de 750 milhões de euros em subsídios a fundo perdido destinado a micro e pequenas empresas dos setores mais afetados pela crise. Alguns dos setores visados parecem ser o comércio, cultura, alojamento e atividades turísticas e restauração, explicou o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, em conferência de imprensa.

Estão abrangidas pela medida as empresas com quebras de faturação superiores a 25% registadas nos primeiros nove meses de 2020 e que tenham a situação fiscal e contributiva regularizada.

Segundo o ministro, será ainda disponibilizada uma linha de crédito de 750 milhões de euros para a indústria exportadora em que haverá possibilidade de conversão de 20% do crédito concedido a fundo perdido, em caso de manutenção dos postos de trabalho. Haverá ainda uma linha de crédito de 50 milhões de euros para empresas de apoio a eventos, acrescentou Siza Vieira.

O ministro explicou que os encargos com as medidas são suportados por fundos europeus, sendo o crédito bancário atribuído pelo sistema financeiro com garantia do Estado e que uma parte deste crédito pode também ser convertido a fundo perdido.

Siza Vieira diz ainda que o Governo estima que cerca de 100 mil empresas “possam ser elegíveis” para os apoios do Apoiar.pt, empresas organizadas quer como sociedades comerciais quer como empresários em nome individual com contabilidade organizada.

As medidas serão lançadas “tão rápido quanto possível”, sendo o programa Apoiar.pt alvo de notificação à Comissão Europeia, mas a expectativa é de que “no início de dezembro” sejam abertos avisos e que o pagamento da primeira tranche seja possível “ainda este ano”, disse o ministro.

Tendo em conta as medidas de combate à Covid-19 tomadas no país (nomeadamente o dever cívico de recolhimento e o teletrabalho), o Governo prevê um “impacto muito significativo” nos setores que já na primavera foram afetados, o que justifica estes novos apoios. 

O ministro anunciou na conferência que foi aprovado em Conselho de Ministros um decreto-lei que permite que as empresas que tenham beneficiado dos incentivos extraordinários à retoma possam transitar para o regime do apoio à retoma progressiva sem ter que devolver o inventivo que já tenham recebido. 

“Entendemos que é necessário dar um sinal às empresas que podem contar sempre com esta possibilidade de apoio à manutenção do emprego sempre que perdurar a pandemia”, disse, referindo que vai ser discutido com os partidos qual vai ser a configuração “exacta” do apoio. 

“Achamos que devíamos apoiar a liquidez, num primeiro momento, continuar a apoiar a todo o custo a manutenção do emprego – que é um factor crítico para que as empresas possam no momento da retoma responder às solicitações dos clientes -, e entendemos que o este novo apoio a fundo perdido, nesta altura, antes do final do Natal, é muito importante para as empresas fazerem face a outras despesas que não os salários, num contexto em que eventualmente vão ter uma redução ou não vão ter o último trimestre que esperavam”, afirmou o ministro, lembrando que o último trimestre do ano é, em anos ditos normais, um trimestre “bom” para as empresas de restauração e comércio. Todavia, notou, “temos receio que, com estas medidas restritivas [de combate à pandemia], a procura se retraia ainda mais”.

“É um choque económico importante”, mas “não vai resolver tudo”

Resumindo, na sua globalidade, este apoio às empresas é uma “medida para dar um choque económico importante”. “Vamos introduzir nos próximos dois meses cerca de 1.500 milhões de euros na economia, adicionalmente”. No entanto, reconheceu Siza Vieira, “não vai resolver todos os problemas, infelizmente”. “E é isso que temos também que encarar com sinceridade”.

Fonte: Notícias ao Minuto

Linha Covid – APOIO À ECONOMIA – Micro e Pequenas Empresas

Objetivo

Apoiar a recuperação das Micro e Pequenas empresas afetados pelos efeitos da pandemia do COVID-19.

Beneficiários

Micro, Pequenas e Médias Empresas, com Certificação PME, (inclui Empresários em Nome Individual (ENI), com e sem contabilidade organizada, com Certificação PME)

  • Microempresas – 700.000.000€
  • Pequenas Empresas – 300.000.000€

Operações Elegíveis

Financiamento de necessidades de Tesouraria.

Operações Não Elegíveis

  • As que se destinem à reestruturação financeira e/ou impliquem a consolidação de crédito vivo;
  • As destinadas a liquidar ou substituir, de forma direta ou indireta, ainda que em condições diversas, financiamentos anteriormente acordados com o Banco;
  •  As destinadas à aquisição de terrenos e imóveis em estado de uso, bem como de imóveis de uso geral que não possuam já (antes da aquisição) características específicas adequadas às exigências técnicas do processo produtivo da empresa.

Condições de Elegibilidade do Beneficiário

  • Localização (sede social) em território nacional;
  • Atividade enquadrada nesta lista de CAE;
  • Sem incidentes não regularizados junto da Banca e do Sistema de Garantia Mútua, à data da emissão de contratação;
  • Ter, à data do financiamento, a situação regularizada junto da Administração Fiscal e da Segurança Social, para efeitos da alínea a) do n.º 1 do artigo 177.º-A do Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social;
  • Situação líquida positiva no último balanço aprovado, as empresas com situação líquida negativa no último balanço aprovado, poderão aceder à linha, caso apresentem esta situação regularizada em balanço intercalar, até à data da respetiva candidatura. Este requisito não se aplica a empresas cuja atividade se tenha iniciado há menos de 24 meses, contados desde a data da respetiva candidatura, nem ENI sem contabilidade organizada;
  • Não ser considerada empresa em dificuldades a 31 de dezembro de 2019, nos termos definidos no n.º 18 do artigo 2.º do Regulamento (CE) n.º 651/2014, de 17 de junho, resultando as dificuldades atuais do agravamento das condições económicas no seguimento da epedemia da Covid-19;
  • Não tenha qualquer operação de financiamento aprovada ou contratada na Sociedade de Garantia Mútua, no âmbito de uma linha ou sublinha de crédito com garantia mútua criada para apoio à normalização da atividade das empresas face ao surto pandémico da Covid-19. Caso tenha alguma operação apenas aprovada será necessário solicitar à SGM a prévia caducidade da mesma;
  • Apresente uma quebra de faturação de:
    • Quebra abrupta e acentuada, de pelo menos, 40% da faturação, relativa à média mensal de faturação no período de março a maio de 2020, com referência à média mensal de faturação dos dois meses anteriores a esse período, ou face à média mensal de faturação no período homólogo do ano anterior;
    • Atividade iniciada há menos de 12 meses com verificação de quebra abrupta e acentuada de, pelo menos, 40% da faturação, no período de 30 dias anterior ao da apresentação do pedido de financiamento, comparado com a média mensal de faturação desde a data em que iniciou a atividade.
  • Não ser considerada entidade enquadrável nos termos do artigo 19.º da Lei n.º 27-A/2020, de 24 julho:
    • Entidade com sede ou direção efetiva em países, territórios ou regiões com regime fiscal mais favorável, quando estes constem da lista aprovada pela Portaria n.º 150/2004, de 13 de fevereiro;
    • Sociedade que seja dominada, nos termos estabelecidos no artigo 486.º do Código das Sociedades Comerciais, por entidades, incluindo estruturas fiduciárias de qualquer natureza, com sede ou direção efetiva em países, territórios ou regiões com regime fiscal mais favorável, quando estes constem da lista aprovada pela Portaria n.º 150/2004, de 13 de fevereiro, ou cujo beneficiário efetivo tenha domicílio naqueles países, territórios ou regiões.
  • Apresentação de declaração, assumindo o compromisso de manutenção dos postos de trabalho permanentes até 31 de dezembro de 2020, face ao comprovado número desses postos a 1 de fevereiro de 2020 e não ter promovido nem vir a promover, nesse período, processos de despedimento coletivo ou despedimento por extinção do posto de trabalho, previstos nos artigos 359.º e 367.º do Código de Trabalho, independentemente de estar ou vir a estar sujeito ao regime de lay-off, previsto no Decreto-Lei n.º 10-G/2020, de 26 de março.

Crédito

Financiamento Máximo por Empresa

  • Microempresas – 50 000 €
  • Pequenas empresas – 250 000 €

Os montantes máximos de capital do empréstimo constantes acima, para os empréstimos com maturidade para além de 31 de dezembro de 2020, não poderão ainda exceder:

  • O dobro da massa anual da empresa (incluindo encargos sociais, os custos com o pessoal que trabalha nas instalações da empresa, mas que, formalmente, consta da folha de pagamentos de subcontratantes) em 2019 ou no último ano disponível. Para empresas criadas em ou após 1 de janeiro de 2019, o montante máximo do empréstimo não pode exceder a massa salarial anual dos dois primeiros anos de exploração; ou
  • 25 % do volume de negócios total em 2019; ou
  • Em casos devidamente justificados e com base num plano que estabeleça as necessidades de liquidez do beneficiário, o montante do empréstimo pode ser aumentado para cobrir as necessidades de liquidez a partir do momento em que é concedido para os próximos 18 meses.

Condições Específicas das Operações:

  • A Comissãodegestão/acompanhamento anual pelo Banco, é de até 0,25%, sobre o montante do financiamento em dívida;
  • As SGM não cobrarão qualquer valor pela emissão da garantia, com exceção da respetiva comissão de garantia;
  • As operações estão isentas de outras comissões e taxas habitualmente praticadas pelo Banco e pelo Sistema de Garantia Mútua;
  • Nos financiamentos contratados na modalidade de taxa de juro fixa, o Banco poderá fazer repercutir no cliente os custos em que incorram com a reversão da taxa fixa, quando ocorra liquidação antecipada total ou parcial, ou quando o cliente solicite a alteração da taxa fixa para taxa variável.
  • Reembolso de Capital: Prestações iguais, sucessivas e postecipadas com periodicidade mensal.
  • Prazo Máximo da Operação: Até 6 anos.
  • Carência de Capital Máxima: Até 18 meses.
  • Taxa de Juro Modalidade Fixa: Swap Euribor para prazo da operação + spread.
  • Taxa de Juro Modalidade Variável: Euribor a 1, 3, 6 ou 12 meses + spread.
  • Spread: 1% -1,5% (até 1 ano – até 1%, de 1 a 3 anos – até 1,25% e de 3 a 6 anos até 1,5%).
  • Bonificação da Taxa de Juro: 0%.

Garantia Mútua

Garantia Mútua
  • Até 90%.
Comissão de Garantia Mútua
Prazo da Operação 1 Ano 1 a 3 Anos 3 a 6 Anos
Micro e Pequenas Empresas  0,25%     0,50%       1%

Links úteis

Declaração de Regularização Tributária e Contributiva

Declaração de Empresa em não Dificuldade

Declaração de Quebra de Faturação

Declaração de não Ligação a Offshore

Declaração Partilha e Transmissão de Informação (DPI)